Regulação emocional: Qual a relação entre a impulsividade e o consumo de álcool? = Emotional regulation: What is the relationship between impulsivity and alcohol consumption?

Sónia Ferreira, Lídia Moutinho, Joana Teixeira

Resumo


A regulação emocional implica uma consciência da resposta emocional, bem como comportamentos de controlo dos impulsos, nomeadamente das emoções negativas, mantendo um comportamento ajustado e orientado para os objectivos, recorrendo a estratégias para gerir as respostas emocionais. No entanto, nem sempre o individuo consegue dar respostas adequadas à situação, perante uma determinada emoção específica. Este aspecto é habitual na população com perturbação de uso de álcool, sendo que em situações com elevada carga emocional e na ausência de estratégias eficazes, acabam por recorrer ao álcool, para gerir as emoções negativas. Para além disso, nesta área são identificadas marcadas lacunas no reconhecimento e julgamento de emoções, o que vai condicionar o seu comportamento social. Assim, no âmbito da regulação emocional, constata-se que dificuldades nesta área estão fortemente associadas ao consumo de álcool, principalmente o controlo da impulsividade. Desta forma realizou um estudo descritivo e correlacional com o objetivo de analisar a impulsividade, numa amostra de 25 utentes, com o diagnóstico de perturbação do uso de álcool. Para esse efeito recorreu-se à Escala de Impulsividade UPPS-P. Os resultados demonstram que ao nível da impulsividade há uma predominância das dimensões Urgência Negativa e Positiva, bem como a Busca de Sensações. Deste modo, persiste uma tendência para agir impulsivamente perante emoções negativas ou positivas intensas, bem como devido a necessidades de estimulação ou à abertura de novas experiências. Estes dados vão ao encontro do que tem sido identificado na literatura, identificando estes aspectos emocionais como essenciais para a prevenção das recaídas.


Emotional regulation implies an awareness of emotional response, as well as impulse control behaviors, particularly negative emotions, maintaining a behavior adjusted and oriented to the objectives, using strategies to manage emotional responses. However, the individual is not always able to give adequate answers to the situation in face of a specific emotion. This aspect is common in the population with alcohol use disorder, specifically in situations with high emotional load and in the absence of effective strategies, they use alcohol, to manage negative emotions. In addition, in this area, graps are identified in the recognition and judgment of emotions, which will condition their social behavior. Thus, in the context of emotional regulation, it is observed that difficulties in this area are strongly associated with alcohol consumption and control of impulsivity. A descriptive and correlational study was conducted to analyze impulsivity in a sample of 25 users, with the diagnosis of alcohol use disorder. For this purpose, the UPPS-P Impulsivity Scale was used. The results show that at the level of impulsivity there is a predominance of the dimensions Negative and Positive Urgency, as well as the Search for Sensations. In this way, there is a tendency to act impulsively in the face of intense negative or positive emotions, as well as due to stimulation needs or the opening of new experiences These data are in line with what has been identified in the literature, identifying these emotional aspects as essential for the prevention of relapses.


Palavras Chave / Keywords:

Perturbação de uso de álcool, Impulsividade, Emoções.

Alcohol use disorder, Impulsivity, Emotions.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt