E se eles não aprenderem? = What if they don't learn?

Helena Raposo, Raquel Santos, Ana Isabel Russo, Maria do Carmo Franco, Vanda Augusto, Teresa Marques, Manuela Teodoro, Vera Coelho

Resumo


Após a criação das E.M.A.E.I., pelo Dec. Lei 54/2018 (Ministério da Educação), a E.M.A.E.I., tem realizado um trabalho que visa a melhor compreensão de cada aluno de forma individualizada, utilizando a diferenciação pedagógica e a disseminação para que cada aluno seja incluído e não apenas integrado numa escola/ grupo cada vez mais diferenciada, dadas as caraterísticas, cada vez mais específicas de cada um. Ao olhar para cada criança e adolescente de forma completamente individualizada, o Agrupamento diminuiu quer o número de sinalizações propostas para integração em medidas pedagógicas, quer a gravidade dessas medidas. A escola torna-se um espaço de inclusão por si mesmo, em que cada professor, assistente operacional, técnicos da saúde mental e da educação, alunos e famílias, são vistos como únicos e colaboram nesta inclusão. Nesta comunicação a EMAEI- Agrupamento de Escolas de Azeitão- propõe mostrar a sua forma específica de trabalhar, através da discussão de casos em equipa alargada e da sua reavaliação em conjunto (com psicólogos, pedopsiquiatras, terapeutas da fala, enfermeira da saúde escolar, docentes, educadores, famílias). Esta discussão de casos permite a compreensão de cada criança e/ou adolescente ao focar-se no seu potencial e nas suas características únicas, permitindo estratégias pedagógicas mais diferenciadas (alterações de cenários de aprendizagem, de apoios necessários, coadjuvação de docentes em sala de aula, tutorias, integração em clubes escolares e outras medidas escolares) que visam, também, a capacitação dos próprios docentes, de forma a que seja necessária , em meio escolar, uma intervenção técnica mínima possível mas um trabalho de equipa que vai permitindo que a escola se torne cada vez mais inclusiva. Se todos (crianças e adolescentes) são vistos e compreendidos como únicos, precisam de adultos, também, eles únicos, e que valorizam a capacidade de cada criança e adolescente para aprender, relacionando-as com os seus interesses, os seus potenciais e não as suas falhas e/ou lacunas. A equipa parte do que cada criança já sabe e do que precisa e/ou lhe faz falta para saber outras coisas. Ao focar-se nos seus recursos e necessidades temos conseguido que cada criança e adolescente seja mais uma pessoa e menos um aluno.


After the creation of EMAEI, by Decree Law 54/2018 (Ministry of Education), EMAEI has carried out work aimed at better understanding each student individually, using pedagogical differentiation and dissemination so that each student is included and not just integrated into an increasingly differentiated school / group, given the characteristics, each time more specific of each one. By looking at each child and adolescent in a completely individualized way, the Grouping reduced both the number of signalling proposed for integration in pedagogical measures and the severity of these measures. The school has become an inclusion space in its own right, in which each teacher, operational assistant, mental health and education technicians, students and families, are seen as unique and collaborate in this inclusion. In this communication, EMAEI - Agrupamento de Escolas de Azeitão - proposes to show its specific way of working, through the discussion of cases in a large team and its reassessment together with psychologists, paediatricians, speech therapists, school health nurses, teachers, educators, families. This discussion of cases allows to understand each child and / or adolescent by focusing on their potential and on their unique characteristics, allowing for more differentiated pedagogical strategies (changes in learning scenarios, necessary support, assisting teachers in the classroom, tutorials, integration in school clubs and other school measures) that also aim at training the teachers themselves, so that a minimal technical intervention is required in the school environment but rather a teamwork that allows the school to become increasingly inclusive. If everyone (children and adolescents) is seen and understood as unique, they also need adults, who are unique, and who value the ability of each child and adolescent to learn, relating them to their interests, their potentials and not to their failures and / or gaps. The team starts from what each child already knows and needs and / or needs to learn other things. By focusing on their resources and needs we have managed to make each child and adolescent more of a person and less of a student.


Palavras-chave / Keywords:

Potencial, Recursos, Diferenciação na aprendizagem e inclusão.

Potential, Resources, Differentiation in learning and inclusion.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt