Relação entre a história de adversidade juvenil e a dificuldade emocional: empatia e alexitimia = Relationship between the history of youth adversity and emotional difficulty: empathy and alexithymia

Andreia Cerqueira, Telma C. Almeida

Resumo


Alguns estudos têm vindo a relacionar a história de adversidade na infância com a alexitimia e com a empatia. Adultos que experienciaram adversidade infantil apresentam maior probabilidade de desenvolver alexitimia e evidenciam maior propensão em desenvolver baixos níveis de empatia. A presente investigação pretendeu avaliar a relação entre a história de adversidade juvenil e a alexitimia em idade adulta e entre a história de adversidade juvenil e a empatia na idade adulta. Pretendeu também analisar a relação entre a história de adversidade infantil e a perpetração de comportamentos de agressão e entre esses mesmos comportamentos e a alexitimia e a empatia. Participaram 92 indivíduos de nacionalidade portuguesa, com idades compreendidas entre os 20 e os 63 anos (M = 40.23, DP = 12.14). Os participantes responderam a um protocolo online constituído por um questionário sociodemográfico, pelo Questionário de História na Infância (ACE), pela Escala de Alexitimia de Toronto (TAS-20) e pelo Índice de Reatividade Interpessoal (IRI). Os resultados permitiram constatar que a história de adversidade juvenil se correlaciona de forma negativa com a empatia e de forma positiva com a alexitimia. Os resultados também identificaram correlações estatisticamente significativas positivas entre a história de adversidade na infância e a perpetração de comportamentos violentos por parte dos participantes e entre a perpetração de comportamentos violentos e a alexitimia. Os resultados desta investigação apontam para o impacto negativo destas experiências infantis na vida adulta, sublinhando a importância de se desenvolverem programas de intervenção nesta área.


Some studies have linked the history of adversity in childhood with alexithymia and empathy. Individuals who have experienced childhood adversity are more likely to develop alexithymia and are more likely to develop low levels of empathy. The present research aimed to assess the relationship between the history of juvenile adversity and alexithymia in adulthood and between the history of juvenile adversity and empathy in adulthood. It also intended to analyze the relationship between the history of juvenile adversity and the commitment of aggressive behaviors and between those same aggressive behaviors and alexithymia and empathy. The sample was composed of 92 Portuguese individuals, aged between 20 and 63 years old (M = 40.23, SD = 12.14). Participants responded to an online protocol consisting of a sociodemographic questionnaire, the Childhood History Questionnaire (ACE), the Toronto Alexithymia Scale (TAS-20) and the Interpersonal Reactivity Index (IRI). The results showed that the history of youth adversity correlates negatively with empathy and positively with alexithymia. The results also identified statistically significant positive correlations between the history of childhood adversity and the commitment of aggressive behavior and between the commitment of aggressive behavior and alexithymia. The results of this investigation point to the impact of these childhood experiences on adult life, underlining the importance of developing intervention programs in this field.


Palavras-chave / Keyword:

História de adversidade juvenil, Empatia, Alexitimia.

History of juvenile adversity, Empathy, Alexithymia.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt