Recursos internos para resiliência e desenvolvimento positivo da juventude em Portugal: Examinando o papel moderador da autorregulação = Internal resources for resilience and positive youth development in Portugal: Examining the moderator role [...]

Diego Gomez-Baya, Gina Tomé, Marta Reis, Margarida Gaspar de Matos

Resumo


A teoria do Desenvolvimento Positivo da Juventude (DPJ) apresenta um modelo de transição para a idade adulta, baseado no fomento de competências, que tem sido bem apoiado por pesquisas até o momento. Para projetar programas de intervenção, são necessárias mais pesquisas para integrar os mecanismos da DPJ e os possíveis moderadores catalíticos. Este trabalho tem como objetivo examinar as associações entre recursos internos para resiliência e DPJ e analisar o papel de moderador da autorregulação de curto e longo prazo, também controlando gênero e idade. Foi realizado um estudo transversal com uma amostra nacional de 2700 jovens em Portugal, que preencheram algumas medidas de autorrelato. Com relação à análise dos dados, foram testados modelos de moderação baseados em regressão, seguindo as indicações fornecidas por Hayes (2018). Maior presença de recursos internos para resiliência foi associada a pontuações mais altas no DPJ geral. Além disso, a autorregulação a longo prazo e o sexo moderaram esse relacionamento. Assim, um tamanho de efeito mais forte nessa associação foi detectado em homens jovens com maiores níveis de autorregulação a longo prazo. Esses resultados sublinham a necessidade de integrar os paradigmas de prevenção e promoção, a fim de promover o desenvolvimento saudável dos jovens, bem como a necessidade de considerar as habilidades de autorregulação e o gênero para projetar programas mais eficientes.


Positive Youth Development (PYD) theory presents a strength-based model of transition to adulthood that has been well-supported by research. In order to design intervention programs, more research is needed to integrate the pathways to PYD and the possible catalytic moderators. This work aims to examine the associations between internal resources for resilience and PYD and to analyze the role as moderator of both short-term and long-term self-regulation, also controlling gender and age cohort. A cross-sectional study was carried out with a national sample of 2700 youths in Portugal, who filled in some self-report measures. Concerning data analyses, regression-based moderation models were tested following the indications provided by Hayes (2018). Higher presence of internal resources for resilience was associated to higher scores in overall PYD. Moreover, long-term self-regulation and gender were found to moderate this relationship. Thus, a stronger size effect in that association was detected in young men with greater levels in long-term self-regulation. These results underline the need to integrate prevention and promotion paradigms in order to foster healthy youth development, as well as the need to consider both self-regulation skills and gender to design more efficient programs.


Palavras-chave / Keywords:

Desenvolvimento positivo da juventude, Autorregulação, Resiliência, Juventude, Gênero, Portugal.

Positive Youth Development, Self-regulation, Resilience, Youth, Gender, Portugal.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt