Intoxicações medicamentosas voluntárias na urgência pediátrica: uma análise ao período 2017-2018 = Voluntary drug intoxication in pediatric emergency: an analysis for the 2017-2018 [...]

Mário André Macedo, Vera Ramos, Daniel Lanzas, Joana Baltazar

Resumo


A utilização dos serviços de saúde pediátricos por intoxicação medicamentosa voluntária (IMV) em Portugal permanece uma realidade desconhecida. Apesar de possuírem um menor risco de morte, os adolescentes apresentam taxas de readmissões elevadas e constituem um grupo de risco que necessita de cuidados especializados. Realizou-se um estudo observacional, transversal e descritivo, através da análise de episódios de uma urgência pediátrica de um Hospital distrital da região de Lisboa, entre 2017-2018, tendo sido possível identificar 97 episódios de urgência decorrentes de IMV. A utilização da urgência pediátrica por IMV ocorreu maioritariamente no turno da tarde (52,5%), segunda-feira (22,7%) e no mês de novembro (11,34%). A idade média foi de 15,4 com 17 anos o mais comum, sendo a grande maioria raparigas (84,5%). Dos episódios estudados, 86,6% necessitou de internamento, sendo que 4 casos necessitaram de cuidados intensivos, com período médio de internamento de 1 dia. Em relação aos fármacos, 54,64% das IMV foi realizada com recurso a apenas um fármaco, sendo os mais comuns o Paracetamol, Diazepam e Quetiapina. Os dados evidenciam uma necessidade de saúde não satisfeita no âmbito da saúde mental. O peso relativo dos casos reincidentes, deve motivar os profissionais de saúde a procurar respostas que vão de encontro a estas necessidades específicas.


The use of pediatric health services due to voluntary drug intoxication (VDI) in Portugal remains an unknown reality. Despite having a lower risk of death, adolescents present high readmission rates and are a group risk that requires specialised care. An observational, cross-sectional and descriptive study was carried out. Through the analysis of episodes of a pediatric emergency in the Lisbon region, between 2017-2018, it was possible to identify 97 cases resulting from voluntary drug intoxication (VDI). The use of pediatric emergency by VDI occurred mostly in the afternoon shift (52.5%), Monday (22.7%) and in the month of November (11.34%). The average age was 15.4 with 17 years old being the most common, being the vast majority girls (84.5%). Of the episodes studied, 86.6% required hospitalisation, with 4 cases requiring intensive care, with an average hospital stay of 1 day. In relation to drugs, 54.64% of VDI’s were performed using only one drug, the most commons being Paracetamol, Diazepam and Quetiapine. The data shows an unmet health need within the scope of mental health. The relative weight of recurring cases, should motivate health professionals to seek answers that meet these specific need


Palavras-chave / Keywords:

Adolescentes, Ideação suicida, Serviços de urgência.

Adolescent, Suicidal ideation, Emergency medical service.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt