Família e comportamento anti-social na adolescência = Family and adolescent antisocial behavior

Alice Murteira Morgado, Maria da Luz Vale Dias

Resumo


As variáveis familiares têm um papel fundamental como factores protectores e de risco para o desenvolvimento de comportamentos anti-sociais na adolescência. Efectivamente, existe um conjunto de características familiares que se afiguram essenciais para a promoção de comportamentos sociais ajustados e para a prevenção de tendências anti-sociais, das quais são exemplos a estabilidade estrutural, controlo, supervisão, consistência, comunicação e laços emocionais.

Neste âmbito, realizou-se uma investigação com o objectivo de demonstrar a importância da percepção de ambiente familiar e a sua influência em diversos tipos de comportamento anti-social. Assume-se, assim, que uma percepção positiva do ambiente familiar poderá funcionar como factor protector, prevenindo condutas anti-sociais de maior severidade. A nossa amostra ocasional inclui um total de 299 jovens do sexo masculino provenientes de três escolas da região de Coimbra (183) e de cinco Centros Educativos em Portugal Continental (116), tendo sido solicitado o preenchimento colectivo e anónimo de um questionário socio-demográfico e das versões portuguesas do Youth Self-Report (YSR, Achenbach, 1991; Fonseca et al., 1999) e da Escala de Ambiente Familiar (Moos & Moos, 1986; Matos & Fontaine, 1996).

Os dados obtidos apontam para a importância da percepção de ambiente familiar nos comportamentos, em particular no que concerne à coesão, conflito, orientação activa-recreativa, orientação para o sucesso, orientação intelectual e cultural, ênfase moral e religiosa e controlo. São, assim, identificadas algumas pistas de relevância para a concepção e implementação de programas de prevenção que possam promover ambientes familiares saudáveis para adolescentes e suas famílias e, desse modo, prevenir condutas sociais desajustadas.

 

Family variables have a key role as protective and risk factors for the development of antisocial behaviors in adolescence. Indeed, there is a set of family characteristics that seems crucial for the promotion of adjusted social conducts as well as for the prevention of antisocial tendencies, namely, structural stability, control, supervision, consistency, communication and emotional bonds.

In this context, we conducted a research in order to demonstrate the importance of family environment perceptions and their influence in different types of antisocial behavior, assuming that a positive perception of family environment may work as a protective factor, thus, preventing severe antisocial conducts.

The occasional sample includes a total of 299 adolescent males, from three schools in the region of Coimbra (183) and from five Educational Centers in Continental Portugal (116). Participants were asked to fill, collectively and anonymously, a socio-demographic questionnaire and the Portuguese versions of Youth Self-Report (YSR, Achenbach, 1991; Fonseca et al., 1999) and Family Environment Scale (Moos & Moos, 1986; Matos & Fontaine, 1996).

Results point out to the important role of perceived family environment on behaviors, particularly on cohesion, conflict, active-recreational orientation, achievement orientation, intellectual cultural orientation, moral and religious emphasis, and control. Therefore, we identify some relevant clues for the design and implementation of prevention programs that may promote healthy family environments for adolescents and their families, thus preventing maladaptive social conducts.

 

Palavras-chave/Keywords

Família, Ambiente, Anti-social, Adolescência, Desenvolvimento.

Family, Environment, Antisocial, Adolescence, Development.


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt