Preocupação materna primária no primeiro ano de vida do bebê = Maternal primary preoccupation in the first year of infant`s life

Ana Karoline de Souza Silva, Cristiane Alfaya

Resumo


 A transição para a maternidade tem sido foco de estudo, considerando as mudanças ocorridas na vida familiar, especialmente na mãe. Assim, o presente estudo buscou examinar uma díade mãe-bebê no primeiro ano de vida da criança, a partir do conceito de Preocupação Materna Primária descrito por Winnicott (1956/2000). O conceito é definido como uma condição especial de sensibilidade aumentada, que ocorre desde a gestação até os primeiros meses de vida, em que a mãe é capaz de identificar-se com o bebê fornecendo um ambiente suficientemente bom no qual ele pode se desenvolver. Participaram do estudo uma mãe e seu bebê com 11 meses de vida. Foi utilizado como instrumento de investigação uma entrevista (semi-estruturada) sobre a experiência da maternidade (Piccinini e cols.GIDEP/UFRGS). Através da análise de conteúdo, os resultados revelaram relações entre a experiência da maternidade, e o conceito de Winnicott. Como exemplo, podemos mencionar verbalizações da mãe “Sim, já consigo diferenciar os diferentes tipos de choro dele, os de fome, de dor, quando ele está agoniado com alguma coisa...”; “hoje eu já consigo identificar o que ele sente...”. De acordo com as verbalizações, a mãe entrevistada demonstrou sensibilidade sobre as necessidades do bebê sendo capaz de identificar e diferenciar as necessidades da criança. Assim, o presente estudo confirmou o conceito de Preocupação Materna Primária ainda aos 11 meses de vida da criança. Pode-se constatar que o período de sensibilidade materna ultrapassou os primeiros meses de vida do bebê, indicando a necessidade de novas investigações.

 

The transition to motherhood has been the focus of study, considering the changes in family’s life, especially to the mother. Therefore, this study sought to examine a mother-infant dyad in the first year of the infant’s life, from the concept of Primary Maternal Preoccupation described by Winnicott (1956/2000). The concept is defined by the author as a special condition of increased sensitivity, which occurs from pregnancy to the first months of life, in which the mother is able to identify with the infant providing a good enough environment in which it can develop. A mother-infant dyad at 11 months´s of life participated in the study. One semi-structured interview was used to investigate the experience of motherhood (Piccinini and cols.GIDEP/UFRGS). Through content analysis, the results revealed relationships between the experience of motherhood, and the theoretical concept of Winnicott. As an example we can mention the mother's verbalizations "Yes , I can now differentiate between different types of him crying, the hunger , the pain, when he is distressed about something ... "; " Today I can already identify what he feels .. ". According to the study, the mother interviewed demonstrated sensitivity about the needs of the infant being able to identify and differentiate the needs of the child. Thus, the present study confirmed the concept of Primary Maternal Preoccupation even at 11 months of child's life. It can be seen that the period of maternal sensitivity may exceed the first months of infant’s life, thus considering the need for new investigations.

 

Palavras-chave/Keywords

Mãe-bebê, Preocupação Materna Primária, Primeiro ano de vida, Sensibilidade, Maternidade.

Mother – Infant, Primary Maternal Preoccupation, First year of life, Sensitivity, Maternity.


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt