O envolvimento dos filhos no conflito conjugal de seus pais = Children involvement in their parents’ marital conflict

Angélica Paula Neumann, Bianca da Rocha Hameister, Adriana Wagner, Eliana Piccoli Zordan

Resumo


 

Uma das grandes preocupações dos profissionais da psicologia é o bem-estar infantil. Há um importante interesse na proteção das crianças e adolescentes, envolvendo, entre outros aspectos, o estabelecimento de fronteiras nítidas entre a conjugalidade dos pais e o exercício da parentalidade. Este trabalho buscou investigar o envolvimento dos filhos no conflito conjugal de seus pais. Para tanto, 180 crianças e adolescentes responderam a Escala de Percepção dos Filhos sobre o Conflito Inter-parental. A maioria dos filhos avaliou que seus pais se relacionam bem (91,6%). Embora metade dos participantes tenha relatado que seus pais brigam na sua frente (49,7%), menos de 10% deles vê os pais discutindo intensamente ou gritando. Além disso, a maior parte dos filhos não é chamada para participar das brigas do casal (97,8%), não vê os pais falando mal um do outro (81%) e não se sente culpada pelas brigas do casal (70%), sendo poucos os filhos convocados a tomar partido em tais situações (25% pelas mães e 13,4% pelos pais). Conclui-se que grande parte dos pais consegue empreender estratégias de proteção de seus filhos frente aos conflitos conjugais, especialmente em contextos nos quais os pais mantêm um bom relacionamento. Contudo, uma parcela dos participantes mostra-se exposta e envolvida nas brigas de seus progenitores, o que requer continuidade nos trabalhos de promoção, proteção e recuperação do bem-estar infantil e da saúde familiar.

 

A major concern of psychologists is child wellbeing. There is great interest in protecting children and adolescents, involving, besides other aspects, the establishment of clear boundaries between parent’s conjugality and parental exercise. This research investigated the involvement of children in their parent’s marital conflict. The participants were 180 children and adolescents, whom completed Children’s Perception Scale of Interparental Conflict. Most children rated that their parents have a good relationship (91.6 %). Although half of the participants reported that their parents fight in front of them (49.7%), less than 10% of them see their parents arguing intensely or screaming. Moreover, most children are not invited to participate in the couple’s arguments (97.8%), do not see parents saying bad things about each other (81% ) and do not feel guilty about the couple’s fights (70%). Besides, just a few children were asked to take sides in such situations (25% by mothers and 13.4% by fathers). We conclude that most parents can manage to use strategies to protect their children against marital conflicts, especially in contexts in which parents maintain a good relationship. However, part of the participants has shown to be exposed and involved in the fights of their parents, what requires more efforts in the promotion, protection and recovery of child wellbeing and family health.

 

Palavras-chave/Keywords

Conflito conjugal, Filhos, conjugalidade, Parentalidade, Bem-estar infantil.

Marital conflict, Children, Conjugality, Parenthood, Child wellbeing.

 

 


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt