Auto-relato de história de maus-tratos na infância em adultos com sintomas de somatização, depressão e ansiedade = Self-reported history of childhood abuse in adults with symptoms of somatization, depression and anxiety

Randdy Ferreira, Marina Moreira, Inês Ferreira, Gabriela Vidinha, Mónica Corte, Sílvia Vaz

Resumo


A vivência de experiências adversas na infância está relacionada com o aumento do risco de problemas de saúde mental na idade adulta (2). Os maus-tratos são um exemplo (abuso físico, sexual e negligência). O objetivo deste estudo foi comparar dois grupos de adultos ao nível de sintomas de somatização, depressão e ansiedade, com base em auto- relato de história de maus-tratos na infância versus não-auto-relato de história de maus-tratos. Recorreu-se a uma amostra não-probabilística. Participaram neste estudo 127 adultos de um Serviço de Saúde Mental da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) (dados de 2018 a 2020). A maioria era do género feminino (77.2%), com idades 18-80 anos (M=40.62; DP=13.21), relatando problemas de saúde mental anteriores (70.9%), escolaridade média/alta (67.7%) e desemprego (52.2%). Participantes com auto-relato de maus-tratos na infância: n = 47 e não-auto-relato de maus-tratos: n = 80. Utilizou-se como instrumentos a entrevista clínica, complementada com o Inventário de Sintomas Psicopatológicos 18 (BSI-18; subescalas: somatização, depressão e ansiedade). Por comparação com os participantes que não relatavam maus-tratos na infância, os participantes com auto-relato de maus-tratos na infância evidenciam valores mais elevados de mal-estar psicológico global (t = 2.076, df = 125, p = .040, d = .38), bem como de somatização (t = -2.048, df = 125, p = .043, d = .37) e depressão (t = -2.076, df = 125, p = .040, d = .38). A investigação sugere que os maus-tratos em criança, em conjunto com doença mental parental, abuso de substâncias, comportamento desviante e violência doméstica aparentam ser um fator consistente, determinando um funcionamento familiar desadaptativo (1). Dado o impacto que estas vivências, associadas a uma probabilidade duas vezes mais elevada de desenvolver algumas perturbações mentais na adultez (2), organizações como a CVP podem ter um papel essencial na promoção da saúde mental da comunidade.


The experience of adverse experiences in childhood is related to the increased risk of mental health problems in adulthood (2). Mistreatment is an example (physical, sexual abuse and neglect). The aim of this study was to compare two groups of adults to the level of somatization symptoms, depression and anxiety, based on self-reported history of childhood abuse versus non-self-reported history of mistreatment. A non-probabilistic sample was used. The study include 127 adults from a Portuguese Red Cross Mental Health service (CVP) (data from 2018 to 2020). The majority were female (77.2%), aged 18-80 years (M=40.62; DP=13.21), reporting previous mental health problems (70.9%), medium/high school (67.7%) unemployment (52.2%). Participants with self- reported childhood abuse: n = 47 and non-self-reported abuse: n = 80. The clinical interview was used as instruments, complemented with the Psychopathological Symptoms Inventory 18 (BSI-18; subscales: somatization, depression and anxiety). Compared to participants who did not report child abuse, participants with self- reported child abuse show higher values of global psychological malaise (t = 2.076, df = 125, p = .040, d = .38), as well as somatization (t = -2.048, df = 125, p = .043, d = .37) and depression (t = -2.076, df = 125, p = .040, d = .38). Research suggests that child abuse, in conjunction with parental mental illness, substance abuse, child abuse and domestic violence appear to be a consistent factor, determining an unadaptive family functioning (1). Given the impact that these experiences, associated with a twice as high probability pf developing some mental disorders in adulthood (2), organizations such as CVP can play an essential role in promoting community mental health.


Palavras-chave / Keywords:

Infância, Maus-tratos, Perturbações mentais na adultez.

Childhood, Ill-treatment, Mental disorders in adulthood.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt