HIV/família: sob o olhar da perspectiva sistémica = HIV/family from the perspective of systemic approach

Susana Ferreira da Costa

Resumo


O conhecimento da seropositividade confronta o indivíduo com a ameaça de morte, diminuindo a esperança e o optimismo em relação ao futuro, afectando todas as áreas da sua existência e daqueles que o rodeiam. A família, por vezes não é capaz de lidar com a situação, vive o conflito entre o seu amor pelo sujeito e a humilhação e vergonha social de lhe estar associados. A adaptação psicológica ao diagnóstico de seropositividade gera uma constante reacção de stress, pois é um processo dinâmico, evolutivo e longo, o que gera mudanças no indivíduo e na sua relação com a família e comunidade.

A vivência do diagnóstico, sobretudo nas fases iniciais, afecta o próprio sujeito e a sua família, bem como técnicos de saúde que lidam de perto com a doença.

Tomar conhecimento desse facto pode gerar na família directa a sensação de ter sido traída, o que provoca um sentimento de raiva, dirigida ao elemento doente, ou então um sentimento de culpa por não o ter conseguido orientar convenientemente.

Se a família entra em crise, só a muito custo partilhará os seus sentimentos e emoções, dos quais, na maior parte das vezes se sente envergonhada, procurando escondê-los dos parentes mais afastados ou dos amigos. Os familiares e amigos mais directamente envolvidos e o pessoal técnico que lidam com estes doentes vivenciam emoções, valores e sentimentos distintos. Se raramente existe uma compreensão total e disponibilidade de ajuda, noutros casos pode haver revolta, afastamento e excessivas precauções pela proximidade com que lidam com os portadores de Sida.

 

Knowledge of HIV status confronts the individual with the threat of death, diminishing hope and optimism about the future, affecting all areas of your life and those around you. The family sometimes is not able to handle the situation, lives the conflict between his love for the subject and the social shame and humiliation of being associated with him. The psychological adaptation to the diagnosis of HIV status generates a constant stress reaction, it is a dynamic, evolving and long, which leads to changes in the individual and their relationship with family and community.

The experience of diagnosis, especially in the early stages, affects the subject himself and his family, as well as health professionals who deal closely with the disease.

Take notice of that fact in the family can generate direct the feeling of having been betrayed, which causes a feeling of anger, ill directed to the element, or a sense of guilt for not having managed to steer properly.

If the family is in crisis, only very cost share their feelings and emotions, which, in most cases feel embarrassed, trying to hide them from more distant relatives or friends. Relatives and friends are more directly involved and technical personnel who deal with these patients experience emotions, values and feelings distinct. If there is rarely a full understanding and availability of help, in other cases there may be rebellion, withdrawal and excessive precautions by proximity to dealing with patients with AIDS.

 

Palavras-chave / Keywords

Adolescente, HIV, Impacto diagnóstico, Família, Técnicos.

Teens, HIV, Impact diagnosis, family, technical.

 


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt