O consumo de fast-food e a perceção da imagem corporal em estudantes do ensino superior do Baixo Alentejo = Fast-food consumption and body image in higher education students from Baixo Alentejo

Ricardo Martins, Miguel Rosa, Vânia Loureiro, Nuno Loureiro, Bebiana Sabino

Resumo


Os países desenvolvidos registam um consumo de fast-food muito elevado em todas as faixas etárias, o que acarreta problemas relacionados com o incremento de peso corporal e, consequentemente com a obesidade, um dos maiores problemas de saúde pública da atualidade. O objetivo deste estudo é avaliar a relação entre a perceção da imagem corporal e o consumo e envolvimento de fast-food em estudantes que frequentam no ensino superior na região do Baixo Alentejo. Cento e sessenta e nove (169) estudantes do Instituto Politécnico de Beja (46.2% do sexo masculino; 53.8% do sexo feminino), com média de idade de 21,53 ±4,17 anos, participaram neste estudo de caráter transversal. A perceção da imagem corporal foi avaliada através das silhuetas fotográficas. O peso e altura foi auto-relatado e permitiu calcular o índice de massa corporal (IMC). A frequência de consumo de fast-food foi avaliada através SPOTLIGHT measures e o acesso a restaurantes que disponibiliza estes alimentos através do questionário “Neighborhood Environment Walkability Survey”. A disponibilidade de alimentos em casa foi avaliada de acordo com a escala de Ding at al.. Para o tratamento dos dados foi usado o software IBS SPSS 26.0 e considerou-se uma significância de 5%. Os participantes do estudo apresentaram um IMC médio de 23.1 ±3.2 kg/m2. Não se verificaram diferenças estatisticamente significativas entre sexos no que respeita à perceção da imagem corporal, apesar da prevalência das raparigas no que respeita à correspondência com imagens relacionados com peso normal ser superior (71,4%). Os estudantes do sexo masculino exibem um consumo semanal de fast-food superior ao sexo feminino (p>0.05). A maioria dos participantes (67,5%) referiram que os restaurantes de fast-food se encontram a uma distância superior a 11 minutos a pé. Os resultados não mostraram uma correlação estatisticamente significativa entre a perceção da imagem corporal e o consumo e/ou acessibilidade a restaurantes fast-food. Porém, o consumo de fast-food está positivamente associado há presença de refrigerantes açucarados em casa (r=0.225; p<0.05). O consumo de fast-food não afeta a perceção da imagem corporal nos estudantes que frequentam o ensino superior no Baixo Alentejo. No entanto, em futuras investigações é importante elucidar os participantes quanto ao conceito de fast-food.


High and medium-income countries have a high fast food consumption during lifespan, which causes problems related to body weight increase and, consequently, obesity, which is one of the biggest public health concerns nowadays. The purpose of this study is to evaluate the relationship between body image perception and the consumption and fast-food environment in students attending higher education in Baixo Alentejo. 169 students from the Polytechnic Institute of Beja (46.2% male; 53.8% female), with a mean age of 21.53 ± 4.17 years, participate in this cross-sectional study. The body image perception was assessed using photographic silhouettes. Weight and height were self-reported and allowed to calculate the body mass index (BMI). Fast-food consumption was assessed using SPOTLIGHT measures and access to restaurants that make these foods available through the Neighborhood Environment Walkability Survey questionnaire. Food home environment was assessed according to the Ding et al. scale. Participants had an average BMI of 23.1 ±3.2 kg/m2. There were no statistically significant differences between genders with regard to body image perception, despite the prevalence of girls with regard to correspondence with images related to normal weight being higher (71.4%). Male students show a weekly consumption of fast food higher than female students (p> 0.05). 67.5% of the participants reported that fast-food restaurants are more than 11 minutes walking distance. The results did not show a statistically significant correlation between body image perception and consumption and/or accessibility to fast-food restaurants. However, fast-food consumption is associated with sugary soft drinks at home (r = 0.225; p <0.05). Fast food consumption does not affect body image perception in students attending higher education in Baixo Alentejo. However, in future investigations it is important to elucidate the participants as to the concept of fast food.


Palavras-chave / Keywords:

Fast-food, Imagem corporal, Obesidade, Ensino superior.

Fast-food, Body image, Obesity, Higher education.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2019
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: mediateca@lis.ulusiada.pt